• Vira o disco, cidadão!

     

     

     

    De novo, aquele papo de que o ano passou voando…

     

    Tiramos do armário as palavras “próspero” e “repleto”…

     

    Falamos que o comércio espera vender “dez por cento a mais do que o mesmo período do ano passado”…

     

    Vamos para a estrada e morremos de inveja de quem está de folga, embora engarrafado…

     

    Torcemos para que nada aconteça nos nossos dias de plantão.

     

    Vira o disco, cidadão!

     

    *

     

    Hora de fazer um balanço dos tais doze meses que “voaram”…

     

    Perdoe, sim, aquele que te fez algo de mal…

     

    Mas não dê chance pra ter que perdoá-lo de novo, no fim do ano que vem!

     

    *

     

    Gaste com suas compras, mas não venda suas noites de sono. Os cartões de crédito não merecem a sua insônia.

     

    Se possível, a partir a partir de agora, guarde um pouquinho de dinheiro todo mês. Essa grana, mais tarde, vai comprar a sua liberdade.

     

    *

     

    E não venha dizer que “é difícil ganhar dinheiro”! Difícil é saber gastar!

     

    Vira o disco, cidadão!

     

    *

     

    Depois do segundo gole, evite escrever no Twitter, Facebook ou qualquer outra rede social.

     

    Você será cobrado num futuro distante por eventuais desenganos do passado.

     

    *

     

    Tome cuidado com as fotos e vídeos do celular.  A exposição em demasia hoje pode machucar pessoas que lhe serão caras amanhã.

     

    Se liga!

     

    *

     

    Que 2012 seja bem mais legal do que 2011…

     

    …e que não chegue nem aos pés de 2013!

     

    *

     

    Por fim, que o aniversário do Homem que dividiu a história em duas partes seja ummomento de paz entre os seus.

     

    *

     

    Sê feliz, cidadão!

     

     

    Por viniciusdonola
    December 23, 2011 às 10:45 pm
  • Turn over a new leaf, citizen!

     

     

     

    Over and over again with the same talk about how the past year flew by…

     

    We dig up words like “prosperous” and “merry”…

     

    We talk about how businesses expect to sell “ten percent more than this time last year”…

     

    We get on the road, envious of those who have a few days off, even when we are sitting in traffic…

     

    We hope nothing urgent happens on the days we are on-call.

     

    Turn over a new leaf, citizen!

     

    It is time to balance out those twelve months that “flew by”…

     

    Forgive, yes, those who did you wrong… But be wise not to have to give forgiveness again at the end of next year!

     

    Spend on your purchases, but don’t sell your nights of sleep. The credit cards don’t deserve your insomnia.

     

    If possible, as of now, save a little every month. This money, will later buy your freedom.

     

    And don’t repeat the excuse that “money is difficult to make!” What is difficult is knowing how to spend it! Let’s turn over a new leaf, citizen!

     

    Avoid writing on Twitter, Facebook or any other social network after every other sip. You will one day be charged for any disappointments of the past.

     

    Be cautious of the pictures and videos captured on cell phones. Too much exposure today can hurt those who are important to us tomorrow. Keep an eye out!

     

    Hope that 2012 is much better than 2011…  but doesn’t reach nearly half the potential of 2013! Last but not least, may the birthday of the man that divided history in two parts be a time of peace amongst you and yours.

     

    Be happy, citizen!

     

     

    Por viniciusdonola
    às 7:57 pm
  • UFC Exclusivo: o brasileiro que estará no corner contra o Brasil

     

     

     

    José Aldo, atual campeão dos pesos pena do UFC –  evento mais conhecido e cobiçado do MMA no mundo – terá um osso duro de roer no dia 14 de janeiro. O osso tem nome: Chad Mendes. E Chad conhece bem o cara que o quer roer.

     

     

     

     

     

     

    O lutador americano é treinado pela dupla dinâmica do MMA mundial: Mestre Tom, um tailandês risonho, que é visto sempre no octógono de óculos escuros, e o boa praça Fábio Prado, o Fábio Pateta, carioca da Ilha do Governador, californiano por adoção e respeitado instrutor de Jiu Jitsu.

     

     

     

    Ele anda pensando um jeito de trazer o cinturão de José Aldo aqui para os Estados Unidos.

     

     

     

     

     

     

    Eu não tenho a menor imparcialidade para entrevistar o Pateta. Somos amigos e ponto. Porém, usando das prerrogativas que a amizade pressupõe, liguei para ele há pouco e tivemos a seguinte conversa:

     

     

     

    Você está treinando um atleta americano que, no UFC Rio, vai tentar vencer um ídolo brasileiro. A luta será no seu país. Na sua cidade. E aí?

    Não vejo problema nenhum. Os americanos abriram as portas do UFC para mim. Sou um profissional.

     

     

    Você já se imaginou lá, cercado pela torcida brasileira, no corner do inimigo?

    Não, ainda não. Nem fiquei tenso ainda. Você me conhece, eu só fico tenso depois que a luta acaba.

     

     

    É luta prevista para cinco rounds. Chega ao fim.

    Não, acaba antes do quarto round.

     

     

    Quem ganha?

    O Chad.

     

     

    Certeza?

    100%. Estou muito confiante para essa luta.

     

     

     

    Como um técnico brasileiro que vai dirigir a Argentina em pleno Maracanã, Pateta conhece o jogo de José Aldo e tem uma estratégia para tentar vencer o campeão.

     

     

     

    Pateta, esqueça agora que sou seu amigo. Passo a ser jornalista, OK? Qual será a estratégia?

    Supresa.

     

     

     

     

     

     

    E as piadinhas a respeito do UFC Rio? Já começaram?

    Já, sim, mas só sacanagem por enquanto.

     

     

     

    Na foto, outro atleta de Fábio, o famoso Urijah Faber, o California Kid, de luvas.

     

     

     

     

     

     

    Pateta, é óbvio, vai fazer das tripas coração para que seu aluno roube o cinturão de José Aldo. Mas, cá pra mim, o UFC Rio vai dilacerar o peito do meu amigo.

     

     

    Sorte, Pateta, e não caia na pilha dos outros! Quem te conhece sabe que seu coração, no seu Rio de Janeiro, irá quase a nocaute.

     

     

     

    Por viniciusdonola
    December 9, 2011 às 5:43 am
  • MMA, o lado do octógono que não se vê

     

     

     

    De agosto deste ano pra cá, o MMA (Mixed Martial Arts) tomou de vez uma fatia da primeira página dos grandes jornais, portais e sites do Brasil. O UFC fez o caminho de volta e, partindo dos Estados Unidos, desembarcou no Rio de Janeiro, onde o antigo “vale-tudo” começou.

     

    Hoje, nem tudo vale, o evento virou esporte, o esporte virou negócio e nós, brasileiros, estamos bem na balança comercial. Exportamos campeões a torto e direito. Boa parte deles é fabricada por André Pederneiras, na foto abaixo.

     

     

     

     

    Também de agosto pra cá, envolvi-me numa empreitada interessante. Busquemos o lead do MMA: quem são, onde estão, o que fazem, quando fazem e como vivem esses atletas?

     

    Entre eles, eu, Roberta Salomone, Ana Abreu e Leandro Lima descobrimos histórias de profunda dor, determinação e resistência.

     

    Desde então, estamos filmando um documentário, cuja estreia deve se dar na segunda metade de 2012. Abaixo, o resumo da ópera:

     

     

    (Reprodução do site robertasalomone.com)

     

     

    O Mixed Martial Arts (MMA) vive uma fase de grande expansão. Hoje, é considerado o esporte que mais cresce e é o segundo mais assistido nas TVs pagas no Brasil. O principal evento da modalidade, o UFC (Ultimate Fighting Championship), teve a marca avaliada em mais de US$ 1 bilhão pela revista americana ‘Fortune’.

     

     

    Eleito o melhor técnico MMA do mundo em 2010 pelo Portal do Vale Tudo, André Pederneiras ganhará um documentário sobre sua história profissional.

     

     

    Ele é líder de uma das principais equipes, a Nova União, e empresário de grandes atletas reconhecidos internacionalmente (José Aldo Junior, Renan Barão, Johnny Eduardo, Luís Beição, Diego Nunes e Ronny Markes, do UFC, entre outros). Além disso, o ex-lutador de vale tudo e faixa preta de Carlson Gracie é presidente do Shooto South America, evento que mais exporta lutadores para outros países.

     

     

    Com o filme, os seus idealizadores querem mostrar o crescimento do MMA no Brasil e no mundo através do trabalho de André Pederneiras. A maioria dos seus atletas tem origem pobre e, com a luta, tiveram oportunidades de mudar a própria vida e dos familiares.

     

     

     

     

     


     

    Quer saber mais ou patrocinar o projeto? Entre em contato: 

    leandro@malocaestudio.com

    robertasalomone@gmail.com

     

     

    Por viniciusdonola
    December 5, 2011 às 12:33 am

 

Share
Arquivo

 

TWITTER
SIGA-ME NO TWITTER

 

 

 

viagra